quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A gente te entende

Eu e a Giulia estamos nessa estrada literária há algum tempo. A Giulia, um bocadinho mais (o dobro, mais ou menos...). Eu entrei nessa luta em 2010. E esse é o termo mais apropriado. É um peleja diária. Porque o escritor, além de produzir suas histórias - o que já é absurdamente trabalhoso - tem que se preocupar com todos os outros aspectos de sua carreira. Dificilmente alguém fará isso por ele. E quanto mais ele se empenhar nos aspectos marginais da carreira (divulgação, contatos, relevância) mais chances ele tem. Mas sempre dizemos que tudo que não tem a ver com escrever é instável, fluído e, nada raro, dependente de sorte. Não dá para controlar tanto quanto se acredita ou quer. Mas tem uma coisa na carreira literária que dá para o autor controlar. A única, aliás: a qualidade de seu texto!
Nesses anos de estrada, testemunhamos muitas carreiras surgirem e desaparecerem por diversos motivos. Seja pela dificuldade do mercado, seja, e principalmente, pela falta de preparo dos autores que se aventuram. Já vimos escritores e escritoras com grande capacidade de venda pessoal, mas com um trabalho inacabado, deficiente, e por mais que conseguissem vender seus livros em feiras e bienais, não conseguiram conquistar realmente seus leitores. Tiragens inteiras sendo vendidas, mas encabeçando carreiras que não conseguiram vingar. E, pior, um leitor finalmente convencido a dar chance à literatura nacional quando tem contato com um trabalho ruim pode ser perdido, criar preconceito. Um autor despreparado pode prejudicar sua própria carreira e o mercado. E não precisaria. Bastaria concentrar-se um pouco mais, preparar um tiquinho mais o que é realmente importante: a qualidade do texto!
Foi pensando em tudo isso que criamos o Escrevivendo.
Afinal, conhecemos os obstáculos. Não todos, obviamente, e nem temos todas as soluções, mas sabemos como os autores se sentem e o que vivenciam em seu dia-a-dia. Já enfrentamos e superamos algumas barreiras e sabemos a importância de procurar apoio e orientação de quem passa pelo mesmo que nós.

W. Tierno

Um comentário:

  1. Muito bom! Estou criando um grupo de histórias compartilhadas para treinar a escrita em conjunto, com o objetivo de praticar, melhorar a escrita.

    ResponderExcluir